A AUTORIDADE DOS FILHOS DE DEUS


A AUTORIDADE DOS FILHOS DE DEUS

Quando o Senhor Jesus curou os doentes, expeliu os demônios, ressuscitou mortos, fez cessar a tempestade, multiplicou pães e peixes, enfim, realizou as obras de Deus, Ele o fez com as mãos ou com o poder da Sua Palavra? Por que a Sua Palavra tinha poder para fazer exatamente aquilo que Ele desejava? O fato de Ele realizar milagres ocorreu por que era Deus ou por que assumiu a autoridade e o domínio que Seu Pai dera a Adão e Eva no princípio da Criação? Qual a diferença entre o ungido com o Espírito Santo e a unção do ministério terreno do Senhor Jesus? Por que não estamos vendo, hoje, esse ministério em alguns homens de Deus, se tal ministério foi coroado com manifestações gloriosas por Ele? As respostas para tantos questionamentos com certeza envolvem a atuação do Espírito Santo.
Na realidade, Cristo, enquanto Filho do Homem, ou Deus-Homem, nunca usou a Sua autoridade divina para realizar qualquer feito entre a humanidade. Pelo contrário, Ele se despiu da Sua glória eterna para assumir a condição humilhante de tomar-se humano, justamente para que na carne pudesse levar toda a maldição do pecado da humanidade ao morrer. Ele teve que tomar para si a condição de Filho do Homem para executar a obra da redenção humana. Apesar de o Senhor Jesus ter Se manifestado ao mundo sujeito às mesmas condições que qualquer ser humano, Sua palavra tinha autoridade sobre as tempestades, a morte, as doenças, o inferno e tudo o mais, porque Ele tinha consigo o Espírito Santo.
A Pessoa do Espírito de Deus era e ainda é a causa da Palavra do Senhor Jesus ter a mesma autoridade da Palavra de Deus quando criou os céus e a Terra.
Da mesma forma que Cristo assumiu a autoridade de Deus aqui na Terra, quando foi ungido com o Espírito Santo, esta unção é igualmente dada àqueles que são ungidos ou batizados com o Espírito Santo. A Bíblia fala dela quando foi concedida aos filhos de Deus, a qual lhes permite realizarem prodígios e sinais, em nome de Jesus Cristo: “Tendo Jesus convocado os doze, deu-lhes poder e autoridade sobre todos os demônios, e para efetuarem curas. Também os enviou a pregar o reino de Deus e a curar os enfermos.” (Lucas 9.1,2).
O Espírito que desceu sobre Jesus e O ungiu para dar visão aos cegos, libertar os cativos de satanás e apregoar o ano aceitável do Senhor é o mesmo que tem ungido os servos do Senhor Jesus, hoje.
O objetivo desta unção é fazer com que estes servos façam o mesmo que fez o Senhor deles e que alcancem a verdadeira vitória. Em todas as Suas mensagens apocalípticas dirigi das às igrejas, Jesus focalizou a vitória seguida de um prêmio especial e eterno. Entretanto, é sabido que nenhuma vitória é conquistada sem uma disputa, uma luta ou mesmo uma guerra. Na vida cristã isso não é diferente. A diferença é que, na vida cristã, a vitória não se trata de uma vitória qualquer e passageira, trata-se de uma vitória maior: a vida eterna.
Deus abençoe todos abundantemente.

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión /  Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión /  Cambiar )

Conectando a %s